ADICIONANDO O PRODUTO AO CARRINHO

BLOG

Hoje vamos contar um pouquinho sobre as histórias das cervejas no natal e, claro, iremos te dar algumas dicas de harmonização para que sua ceia fique ainda mais saborosa!

Como todos sabem, o Natal é uma festa cristã que celebra o nascimento de Jesus Cristo. Mas, o que nem todos sabem é que a comemoração desta data representativa para o cristianismo herdou algumas práticas do paganismo, como por exemplo, a troca de presentes, a cultura da árvore de Natal e, também, a fabricação de cervejas para brindar essa época do ano.

Pois é, o custome de fabricar bebidas elaboradas para momentos importantes não é de hoje! Os povos da Escandinávia, Alemanha e Bretanha já possuíam a tradição de festejar o inverno e seus deuses pagãos entornando litros e mais litros da bebida fermentada.

vikings 

Com a chegada do cristianimo, os povos bárbaros adaptaram seus costumes à mais nova realidade sem deixar a velha tradição morrer. Em meados do século XIX, nas regiões do norte da Europa, cervejeiros fabricavam suas bebidas de acordo com as colheitas, para abrir espaço para o ano seguinte, eles utilizavam todas as suas reservas de cereais em Outubro, quando produziam um tipo de cerveja especial para o final do ano.

Originalmente conhecidas por Cervejas de Outubro, as bebidas produzidas por esses cervejeiros eram do tipo ale (alta fermentação) - fortes, densas e com alta graduação alcoólica - por conta da grande quantidade de ingredientes utilizados na sua elaboração. Com essas características, não é difícil deduzir a correlação entre o líquido fermentado e o inverno, que é justamente a estação no hemisfério norte quando o Natal é celebrado.

Porém, a cultura cervejeira natalina só ganhou o simbolismo que perdura até os dias de hoje graças aos antigos mosteiros europeus, responsáveis por alguns dos melhores rótulos do mundo. Foi nesta época que os monges começaram a separar os melhores ingredientes do ano para a fabricação de uma cerveja que celebrasse o nascimento de Jesus Cristo. Alguma semelhança com o paganismo?

monge

E foi assim que a cultura "Christmas Ales" (também chamadas "Xmas Ale" ou, em francês, Bières de Noël) ganhou seu espaço no mundo. Hoje a tradição é mantida especialmente em países com um grande número de cervejarias artesanais, como a Bélgica, Alemanha, Estados Unidos e, mais recentemente, Brasil.

E, agora, vamos ao que interessa, confira algumas boas opções que podem fazer parte da sua ceia neste Natal:

10 rótulos para a Ceia de Natal

Straffe Hendrik Tripel

Straffe Hendrik Tripel é uma cerveja clássica que une o amargor do lúpulo à complexidade das especiarias, condimentos e notas de frutas amarelas e brancas, que arrematam com uma sensação de aquecimento pronunciada por conta dos 9% de teor alcoólico.

Sugestão de harmonização: Bacalhoada

Brugse Zot Dubbel

Brugse Zot é uma dubbel clássica, notas de malte caramelado, frutas passas escuras, condimentos, especiarias e suave picância que persiste ao próximo gole. O alcoól, apesar de pronunciado, está bem inserido e oferece uma gostosa sensação alcoólica.

Sugestão de harmonização: Carne assada ao molho de ameixa

Backer Corleone

A Corleone é a primeira da linha Mafiosas, da cervejaria Backer. Sob o estilo Imperial Red Ale, é uma potência de aroma e sabor, equilibrando o dulçor pronunciado com o amargor potente, arrematrado com um belo teor alcoólico que oferece a sensação de aquecimento a cada gole!

Sugestão de harmonização: Porco com frutas passas

Dieu du Ciel Blanche du Paradis

Blanche du Paradis significa "Branco do Paraíso" em francês. Sob o estilo witbier - cerveja de trigo belga - apresenta colocaração amarelo-palha, não filtrada (turva) e boa formação e estabilidade de espuma. No aroma, o pão fresco se une às especiarias, casca de laranja e coentro, típicos deste estilo. O sabor segue o aroma, sendo que os citrinos permanecem evidentes, completando uma suave nota de acidez vindo das frutas cítricas e também do trigo utilizado.

Sugestão de harmonização: Salpicão de frango, entradas leves ou Peru

Harviestoun Raspy Engine

Quando Amy, a cervejeira da Harviestoun voltou de uma fazenda próxima à cervejaria com uma cesta de framboesas recém colhidas, todos já sabiam que aquelas frutas não virariam geleia. Não deu outra, elas logo viraram o toque a mais na já amada Old Engine Oil - a cereja do bolo, ou melhor dizendo, a framboesa. Uma Porter clássica com um final frutado preciso e notas aromáticas de fruta, maltes tostados e café. Potente, equilibrada,perfeita!

Sugestão de harmonização: Chocotone com vermelha ou pavê de bolachas champagne

361° Stout

A 361° Stout é uma foreign extra stout. De coloração negra, boa formação e estabilidade de espuma que persiste no copo. No aroma e sabor, notas pronunciadas de grãos torrados, apresentando notas de café, chocolate e suave queimado. Mais seca, o caráter maltado está bem presente e persiste ao próximo gole.

Sugestão de harmonização: Chocotone

Chimay Blue

Aroma de frutas secas e passas, maltes remetendo a caramelo, toffee e alto teor alcoólico fazem dessa cerveja um excelente exemplar para os dias mais frios ou para acompanhar carnes de caça, queijos azuis e doces a base de chocolate.

Sugestão de harmonização: queijos fortes de entrada ou leitão com farofa e bacan

Warsteiner Winter

Sob o estilo märzen, ela apresenta boa formação e estabilidade de espuma, coloração marrom claro, levemente turva. No aroma e sabor, notas de malte, cereais e lúpulo em segundo plano, que persiste a cada gole. Você pode garantir a sua assinando os kits Gambrinus ou Ceres deste mês!

Sugestão de harmonização: Frango assado com farofa ou batatas carameladas

Um brinde especial à todos vocês! Tim-tim

AVALIAÇÃO: